Corrente do Amor: Menina com cardiopatia conta com o apoio da Márcia da ONG Pequenos Corações

Cada criança que nasce desperta um sentimento de cuidado em muita gente. Pais, irmãos, avós, padrinhos, amigos, vizinhos, educadores… São diversas as pessoas que podem fazer a diferença na vida dos nossos pequenos. Para homenagear e contar suas histórias, criamos a campanha Corrente do Amor. Hoje nós vamos falar sobre a trajetória de pessoas especiais que cruzaram pelo caminho da Luana: uma menina que nasceu com uma anormalidade no coração e foi abandonada pelos pais.

Natural do Mato Grosso do Sul, o casal Angela e Valdemir Coradini, que não podia ter filhos, já havia adotado duas crianças quando em 2004 recebeu uma ligação de que havia uma menininha de 3 anos e 9 meses para adoção, porém ela tinha uma grave doença no coração (cardiopatia congênita) e teria pouco tempo de vida. Mesmo assim os dois quiseram que Luana fizesse parte da família deles.

Corrente do Amor: ONG Pequenos Corações apoia família no tratamento de menina com cardiopatia grave

Com quase 4 anos ela já havia passado por duas cirurgas de risco, pesava apenas 9 kg, usava roupinhas de bebê de 1 ano, não falava, estava aprendendo a andar e ainda usava fraldas. A partir daí a batalha contra a doença começou. Foram muitas internações e sofrimentos até fazer cateterismo.

Três anos depois, completou seu aniversário de 7 anos dentro da UTI, que era como sua segunda casa, para fazer outro o procedimento bastante delicado chamado Fontan. Foram longas 7 horas de cirurgia, oito dias de UTI e oito dias no quarto.

Os próximos 4 anos foram tranquilos, morando em casa e fazendo exames, até uma consulta apontar que a menina precisava passar por mais uma cirurgia que não poderia ser feita no seu estado e sim em São Paulo.

Foi aí que a mãe encontrou na internet uma instituição que mudaria seu destino. Fundada por Márcia Adriana Saia Rebordões, a ONG Pequenos Corações presta assistência às crianças com cardiopatia congênita e aos familiares, dando apoio psicológico e emocional, assistência jurídica e informativa. Sem esperanças ela enviou uma mensagem e para sua surpresa prontamente recebeu o retorno. Em junho de 2014, após demorar para conseguir marcar a tão temida operação, Luana realizou o procedimento em SP. Por complicações que vieram a seguir, a pequena guerreira ainda precisou colocar um marcapasso, o qual ainda teve mais problemas. Em todos os esses momentos teve toda assistência da ONG, que acolhia mais mães e crianças na mesma situação, tendo uma casa onde os recebia.

“Foram quatro meses muita luta, mas também de muita vitória. Nesses meses conhecemos pessoas maravilhosas, não só pessoalmente, mas também on-line. Ficamos admirados com a “fama” da Lu. As pessoas, no grupo Pequenos Corações, pediam noticias todos os dias. Mandavam mensagens de esperança, de fé. Pessoalmente conhecemos a Márcia, muitas mães na casa. Muitas histórias no hospital. E ficaram algumas amigas que levaremos para sempre em nossa vida”, conta a mãe da menina.

Corrente do Amor: ONG Pequenos Corações apoia família no tratamento de menina com cardiopatia grave

Corrente do Amor: casal adota menina com grave doença no coração e ONG auxilia na recuperação

Hoje em dia a menina, que quando adotada tinha poucas chances de sobreviver, tem 17 anos de idade e está linda e cheia de alegria. Apesar de ter algumas limitações ela batalha todos os dias e AMA viver, como diz sua mãe.

Luana comemorando seu aniversário de 15 anos

Luana e Marcia da ONG Pequenos Corações

Recebemos essa história inspiradora da Angela, mamãe da Luana, através da #CorrentedoAmorBrandili homenageando todo o amor e dedicação da Márcia, uma das fundadoras da instituição. Mostrando que o amor pela criança pode ser maior do que qualquer desafio que a vida nos impõe. Além desse exemplo de carinho pela criança, muitas outras histórias fazem parte da Corrente do Amor. Leia também:

>> Voluntária adota menino com necessidades especiais 

>> Jovem ajuda crianças carentes do Lixão de Gramacho

>> Professora vai na casa dos alunos para conhecê-los melhor e poder ajudá-los

E você?

Tem também uma história inspiradora para dividir com a gente? É bem fácil, olha: Passo 1: pense na história de alguém que tem amor pela criança; Passo 2: poste essa história nas redes sociais da Brandili com a #CorrentedoAmorBrandili ou aqui nos comentários do blog; Passo 3: pronto, você já está participando! As histórias mais emocionantes serão transformadas em animações, que serão exibidas em todo o Brasil.

Esperamos contar com a sua história aqui, quanto mais pessoas maior será a corrente do amor <3

Imagens e informações: Pequenos Corações

Equipe Brandili

Escrito por Equipe Brandili

A Brandili é muito mais do que uma fábrica de roupas, é uma empresa que trabalha com amor, carinho e muita dedicação.

Comente!