Conselhos poderosos para educar seu filho por Chris Flores

Os filhos não chegam à nossa vida com um manual de instruções sobre cada etapa de vida. O significado do choro, a primeira infância na escola… muito menos como lidar com as conquistas, frustrações e outros comportamentos. Criar um filho não é fácil, mas com bom senso, paciência e muito amor, a gente tira de letra. É justamente para te ajudar que  a Corrente do Amor Brandili foi criada, para trocarmos experiências e conhecimentos entre pais e especialistas!  Durante uma live nas redes sociais da Brandili, conversei com a psicopedagoga Betina Serson, que esclareceu  pontos importantes sobre métodos de educação.

chris flores e gabriel

Foto: Ricardo Corrêa/DIVULGAÇÃO Fonte: Gente – iG

1) Criança fazendo birra?

Sabe aquela cena da criança se jogando no chão e esperneando? Castigar não resolve. Ignore e passe a elogiar quando ela tiver bom comportamento. Ao ser ignorada a criança percebe que não surtiu o efeito de chamar a atenção, se cansa e para. Outra cena comum é a criança gritar e os pais gritarem de volta. Baixe seu tom de voz. Isso obriga a criança a parar para te escutar.

2) Você é o exemplo

Diz o ditado que um gesto vale mais do que mil palavras, certo? Muitos comportamentos do seu filho são imitações dos seus. Seu filho só come mexendo no celular? Repare se você não tem agido assim na frente dele. Você perde a paciência com facilidade? Observe se seu filho não tem tido atitudes semelhantes com os colegas.

3) Cobre responsabilidade das crianças

Sabia que com apenas 3 anos, a criança é capaz de guardar as roupas dela no armário? Claro que não vai ficar perfeito, mas não tem problema! O importante é a sensação de responsabilidade dada à criança, de ela se sentir útil. Dê tarefas leves para ela. Isso é ótimo para a autoestima da criança e vai prepará-la para o mundo.

4) Estabeleça uma rotina

Rotina dá segurança para as crianças e melhor qualidade de vida para elas e para os pais. Horário para comer, dormir, tomar banho, ver TV… Assim como na escola, as crianças devem saber que em casa também existe rotina. Uma dica para a hora de dormir é deixar que seu filho pegue o livro de histórias e, mesmo sem saber ler, conte a versão dele. Divertido e relaxante, prepara para o sono e aproxima pais e filhos.

Saiba mais: Chris Flores conta sobre a experiência de ser mãe

5) Imponha limites

Quando você era criança, não tinha hora de parar de brincar com os amigos e ir para casa jantar? Hoje as crianças não brincam na rua, mas sim no celular, tablets, videogame. Estabeleça quantas horas seu filho pode ficar ali, em vez de deixa-lo solto, só porque ele está em casa. Os limites não precisam ser rígidos, mas devem existir. Faça um contrato com seu filho, um combinado por escrito, com horários para tudo. Coloque que comportamentos errados geram consequências, mas sem castigo. Discutam juntos, escrevam e depois todo mundo assina.

6) Sem traumas

Já reparou que existe uma colocação muito negativa sobre a palavra frustração, como se simbolizasse trauma? Não é! A frustração é importante no processo de evolução e amadurecimento de todos nós e temos que aprender a lidar desde a infância. Se seu filho se frustrar com algo, converse com ele, entenda o que houve e explique que aquilo não é o fim do mundo.

7) A escola ideal

Escolha uma instituição que tenha uma linha pedagógica parecida com o que você acredita. Conheça várias opções antes de decidir e que seja perto da sua casa, trânsito estressa. Prefira uma escola cuja mensalidade esteja de acordo com os ganhos da família.

8) A lição de casa é do seu filho!

Jamais faça a lição do seu filho. Lição é para ajudar no aprendizado da criança e nada do que ela trouxer para casa é diferente do que foi ensinado em aula. Ao agir assim, a criança achará que não é capaz sozinha, o que refletirá na autoestima dela. Apenas ajude! Deixe ela levar errado para a escola. Só assim a professora saberá se a criança está com dificuldade.

9) Bullying

Seu filho não quer mais ir à escola? Fica calado, comendo demais ou de menos? Atenção aos sintomas, ele pode estar sofrendo bullying na escola. Caso você desconfie do problema, procure a coordenação e converse. Somente por meio da parceria escola – família será possível ajudar.

10) Tudo a seu tempo

O excesso de informações e estímulos altera o comportamento das crianças, que têm tido complexos e atitudes não pertinentes à idade. Pior ainda são pais cobrando que os filhos sejam os melhores na escola e na vida social. Em vez de colocar tanta expectativa, incentive atividades e comportamentos de acordo com a idade dele.

11) Confie no seu taco!

Acredite na educação que dá ao seu filho. Muitos podem criticar, mas lembre-se de que você faz o melhor. Quer fazer mais? Desligue o celular e vá brincar seu filho!

Conheça mais sobre a  #CorrentedoAmorBrandili e compartilhe do nosso propósito!

Comente!