A força de uma mãe empreendedora

Sempre acreditei que a gente só evolui quando está aberto ao aprendizado, tem disposição para ouvir experiências e acaba se inspirando em pessoas que são referência de força, talento e caráter. Muitas vezes a vida coloca diante de nós essas pessoas e precisamos aproveitar as oportunidades. Foi o que aconteceu no meu encontro com Dona Lili Brandes, a fundadora da Brandili. Nossa conversa foi tão especial que quero compartilhar com você o que tirei dessa experiência com uma mulher tão inspiradora (assista o vídeo nas redes sociais da Brandili).

O que me chamou atenção já ao encontrá-la foi ver alguém de 83 anos tão lúcida, cheia de vida, com vontade de fazer ainda mais. Uma mulher que passa no olhar a paixão e o orgulho que sente por tudo o que construiu. E o caminho não foi fácil! Casou-se cedo, aos 19 anos, e no dia seguinte, já estava trabalhando. Na sua família, nunca houve o preconceito, mulher sempre pôde trabalhar e ter liberdade de escolher seu próprio caminho. Veja como é importante contar com o apoio dentro de casa. Aliás, foi seu marido Carl que a ajudou a criar os filhos para que os dois pudessem construir juntos um sonho em comum, a Brandili. Ele pegava os dois filhos, Jorge e Norberto, e os levava até o trabalho para que ela pudesse amamentar.

Diante de poucos recursos, começaram dentro de casa a costurar as roupas para crianças. A fábrica foi crescendo no entorno da casa da família, que ficava no centro do local onde hoje está a sede da Brandili, no município de Apiúna, em Santa Catarina. Desse tempo, ainda resta uma árvore frondosa, onde tivemos nossa conversa enriquecedora e onde seus filhos e netos brincavam, já dando valor e aprendendo tudo o que a mãe e avó fazia. Dona Lili passava as madrugadas acordada ensinando as costureiras a fazer o trabalho com perfeição: costuras que não machucassem a pele sensível das crianças, os acabamentos que faziam a diferença, os detalhes que encantavam as mães.

A relação tão próxima com funcionários fez Dona Lili ganhar a confiança e o respeito de todos. Ela se tornou uma grande mãe para cada um deles. Até hoje cuida de todos, pergunta se comeram direitinho, se a família em casa está bem. Dona Lili adora passear pela fábrica e ver a linha de produção de perto. Sabe tudo! Se preocupa com a segurança do trabalho, com a higiene, organização e até dá ideias de inovação. Apesar de não estar mais no dia a dia da empresa, sempre é chamada para dar uma ajudinha porque só com a sua presença todos já se sentem mais felizes e confiantes. Seu maior orgulho é ter conseguido passar o comando da Brandili primeiro para os filhos e agora, para as netas. Todos, assim como ela, são apaixonados pela empresa e acima de tudo, pelas crianças, a grande razão de ser da Brandili.

Aprendi muito com Dona Lili, uma empreendedora que nunca deixou de ser mãe. Em primeiro lugar, que precisamos ter um sonho e ir atrás dele, por mais difícil que possa parecer naquele momento. Em segundo, a não ter vergonha de contar com ajuda para poder se dividir ente o trabalho e os cuidados com os filhos. Em terceiro, se dedicar com paixão, o tempo que for necessário, para que seu sonho aconteça, mesmo que isso custe alguns momentos de ausência em casa e resultem até em sentimento de culpa. Em quarto, fazer tudo com paixão e passar essa lição para os filhos, netos e bisnetos, porque o orgulho pelo o que construímos nasce no coração de cada um. E em quinto, nunca achar que já é tarde para continuar a sonhar e ter vontade de melhorar sempre.

Dona Lili não imaginou o tamanho que a Brandili chegaria hoje, mas sempre teve uma certeza: fazer o seu melhor para que o fruto do seu trabalho fosse reconhecido por outras mães que, assim como ela, sabem o valor da criança nas nossas vidas.

Comente!